quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Vamos na biblioteca?


Convite difícil de ouvir concorda? Num mundo onde a tecnologia em especial a internet tem como nunca antes seu primeiro lugar em popularidade,tive o prazer de ver o prazer das pessoas em fazer parte desse mundo ainda habitado: A biblioteca.Depois de ser muito bem atendida por Silvia, atendente a 5 anos da biblioteca Jarbas Passarinho, pude perceber que nem tudo está perdido.Tive a excelente notícia de que do 1° ano que a Silvia começou a trabalhar lá até agora,a frequência das pessoas à biblioteca só tem aumentado. Perguntei também quais escritores eram mais procurados.Entre eles grandes nomes como Clarisse Lispector, Monteiro Lobato e Jorge Amado.Apesar da frequência maior das pessoas ser para pesquiza e não pelo puro prazer da leitura,ver muitor jovens não se contentarem com as comodidades oferecidas pela internet foi muito gratificante.
      Mas esse trabalho nem sempre é fácil.A infraestrutura que se disponibiliza muitas vezes não é suficiente. Uma das coisas que pude notar foi a falta de ventilação adequada.Sem ventiladores ou ar condicionado o calor torna-se um impecílio. Outra coisa de partir o coração foi ver o telecentro-um espaço dedicado a informática-DESATIVADO.A algum tempo atrás as fontes dos computadores foram roubadas -Isso mesmo,a biblioteca havia sido assaltada e só depois desse episódio que reforçaram a segurança- e até agora nenhum foi reposto.E lá estava uma sala cheia de monitores,mas sem nenhum usuário.Perguntei se ao reativar os computadores teriam pessoas qualificadas para instruir as pessoas a usar, e de acordo com Silvia,Sim.Ela completou:"Sempre aparecem voluntários".E tá aí mais um ponto positivo dessa biblioteca. Esse ano ela recebeu uma doação vinda do Rio de Janeiro de 1.000 livros! Assim como os bonecos na área infantil também foram doações.Os maiores beneficiados com isso,são os visitantes de lá.Tive a oportunidade de conversar com 6 jovens que me surpreenderam nas respostas.Dos 6, 4 afirmaram gostar de ler e dentre eles uma menina em especial chamou minha atenção.A Maria Alice de 13 anos que cursa a sétima série.  
 Depois de dizer que ama ler,ainda afirmou que não gosta de computador ou coisas como 'Orkut' ou 'MSN' e mais, quando perguntada se a biblioteca apresentava alguma deficiência,ela disse que sim. "Não gostei quando tiraram a máquina de escrever".Eu insisti se era do computador que ela sentia falta,e mais uma vez ela afirmou: "Não,é da máquina de escrever,e mesmo quando tinha não nos deixavam usar".Como é raro ouvir esse tipo de comentário de uma garota de 13 anos! Fiquei muito feliz de ouvir da menina que sonha em ser veterinária ou bióloga que essa é a falta que ela sente.Assim como fiquei triste quando o jovem Michael também de 13 anos me respondeu que ler era uma perda de tempo.
       Concluo aqui essa matéria com as belas palavras do Mário Quintana que vi fixada nas paredes da modesta biblioteca: "Livros não mudam o mundo.Quem muda o mundo são as pessoas.Os livros só mudam as pessoas". Não abandonem esse hábito tão recompensador, o de ler.É atravéz dele que nós podemos conhecer, aprender, viajar,ampliar nossa mente num mundo onde o corre corre do dia dia pouco ajuda nisso. E não é dificil,um simples cadatro deixando nome e endereço ja te infiltra nesse maravilhoso mundo.Incentive portanto seus filhos,irmãos,primos ou seja lá quem for a leitura, porque falta de estrutura nas bibliotecas públicas,salas inteiras desativadas por conta de assaltos e comodismo das prefeituras em dar o apoio necessário para essas melhorias...TEM COISA QUE NÃO DÁ!!!

2 comentários:

  1. Olá, parabéns pelo blog. Tudo de muito bom gosto!
    Estou seguindo, espero sua retribuição ;D
    http://umpoucosobreisso.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu estou isento disso né?
    Eu já lhe levei pra livraria cultura!

    ResponderExcluir